Artigos

Escola para ser youtuber 

Escola-para-ser-youtuber-20160924163141.jpg
 

20/09/2016 - O primeiro curso brasileiro voltado a quem quer trabalhar com a plataforma de vídeos foi lançado na última semana por instituição de Curitiba que serve de estímulo para que outros sejam lançados

Criar conteúdos para o YouTube rede com 1 bilhão de usuários acessada por 93% dos internautas pelo menos uma vez por mês segundo pesquisa da Google e da Research Designed for Strategy (Reds) virou profissão. Diferentemente da tevê, a plataforma de vídeos é democrática e oferece espaço para que qualquer um crie um canal e tenha chances de se tornar um youtuber de sucesso. Para chegar lá, entretanto, não basta vontade. O trabalho envolve dedicação, bom conteúdo e técnica. A fim de ajudar quem deseja construir uma carreira no ramo, o Brasil ganhou o primeiro curso inteiramente focado na formação para a área. A Academia de YouTube foi lançada pelo Centro Europeu, locali zado em Curitiba, na última quarta-feira (14), quando começou a primeira turma.

A capacitação dura dois meses e meio, é composta por 60 horas-aula, às segundas e quartas-feiras, das 19h15 às 22h30. O investimento é de R$ 2,4 mil. As aulas ensinam desde o básico da filmagem, passando por produção, roteiro, edição e captação de imagem e som, até o uso das redes sociais com visão de negócios, planejamento financeiro e empreendedorismo.

Diego Lopes, 34 anos, um dos criadores do curso, trabalha com audiovisual há mais de 10 anos, explica o porquê da iniciativa. Decidimos formatar um curso de acordo com a realidade em que vivemos, conta o sócio-diretor da Oger Spol Produções, formado em publicidade, e direção e produção cinematográfica pela Los Angeles Film School. Professor de produção gráfica na formação do Centro Europeu, criador de mais de 50 filmes e curtas exibidos em festivais nacionais e internacionais e sócio da Oger Spol Produções, Cláudio Bitencourt, 30, acredita que buscar esse tipo de conhecimento é importante para trabalhar com qualidade.

Tem muita gente fazendo vídeo de qualquer jeito. O audiovisual tem um jeito certo de contar história e, ao saber o que está fazendo, a pessoa pode alcançar o sucesso ou assessorar clientes, conta um dos criadores do canal de humor O Comicozinho.

Sandra Ruthes, 42 anos, professora de dança e dona da escola de dança de salão I Dance, em Curitiba, espera que o curso a capacite para ampliar seu trabalho. Não há muitos conteúdos de qualidade em relação a minha profissão na internet. Quero começar um canal para divulgar a dança, afirma a empresária.

Capacite-se / Aulas para mandar bem
» Academia de YouTube: goo.gl/vHG7W0

Cursos sobre redes sociais e audiovisual no DF
» Brasília Marketing School: www.brasiliamarketingschool.com.br
» Ozi Escola de Audiovisual: www.ozilabs.com.br
» Studio Online: studioonline.com.br

Formações on-line sobre redes sociais
» Academia do Marketing: goo.gl/0qzNqg
» Fundação Getulio Vargas (FGV): goo.gl/IqwzAA
» Escola de criadores de conteúdo do YouTube: goo.gl/mKgZwe

Palavra de especialista
Consolidação

O fato de o Brasil ganhar uma academia focada no YouTube é um avanço. É um indicativo de amadurecimento do mercado, que exige profissionalização. Quem quer ser influenciador precisa estudar. O instinto e a intuição ajudam no começo, mas é preciso melhorar para sustentar o canal como negócio.

Marcelo Minutti, especialista em análise de redes sociais pela Universidade de Michigan e coordenador do MBA em marketing e comunicação digital do Centro Universitário Iesb

Dicas de quem entende

O segundo youtuber mais influente do mundo, de acordo com a Snack Intelligence, é o piauiense Whindersson Nunes, 22 anos, que criou um canal com seu nome em 2013 e conquistou 12 milhões de inscritos e 833 milhões de visualizações. A marca registrada dos vídeos é o quarto do jovem como plano de fundo, em que fala sobre fatos do cotidiano, com tom humorístico. É preciso ser autêntico e trabalhar para conquistar o público. Às vezes, falta originalidade, diz sobre a receita do sucesso. Comecei porque tinha muito tempo ocioso. Deu no que deu, conta.

Dona do canal Respira, Mariana, criado em 2012, a brasiliense Mariana Gastal, 24, faz resenhas de livros e acredita que é preciso dedicar tempo para que o crescimento venha. A página cresce proporcionalmente à energia que você coloca nela, afirma. O YouTube, onde conta com 27. 403 inscritos e 1,45 milhão de visualizações, não é a ocupação principal da publicitária que trabalha com design e começou na rede com pouco conhecimento. Após receber uma ligação da equipe do YouTube, da Califórnia, buscou dicas feitas pela própria plataforma de vídeos e disponibilizadas na Escola de Criadores de Conteúdo (saiba mais em Capacite-se), o que a ajudou a crescer.

 

Fonte: Correio Braziliense/ Eu Estudante/ DF