Artigos

Especialistas dão dicas para quem está procurando emprego

Especialistasdaodicasparaquemestaprocurandoemprego-20150718140949.jpg

 
 
18/07/2015 - Isabella Mayer de Moura - Joinville

O cenário não parece nem um pouco promissor. Em maio, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), as empresas fecharam 1.762 postos de trabalho. A recessão econômica, que primeiramente atingiu a indústria já está refletindo na diminuição da oferta de emprego em outros setores, o que torna a tarefa de ser contratado ainda mais difícil – mas não impossível.

Quem está procurando um novo emprego pode lançar mão de algumas táticas para ter vantagens sobre os concorrentes. Segundo o vice-presidente da ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos) Santa Catarina, Pedro Luiz Pereira, as principais armas nesta busca são a informação, os contatos e a obstinação.

“O primeiro passo é buscar informações de onde existem oportunidades de empregos, quais setores são os mais favoráveis. De posse dessas informações, é preciso entrar em contato com a empresa, usar o networking (rede de contatos) e ser obstinado na conquista da vaga”, disse ele, lembrando ainda que também é preciso manter o equilíbrio emocional.


A especialista em gestão de pessoas e treinamento de recursos humanos Maria Lúcia Simas Paulino salienta a importância da rede de contatos, mas afirma que o primeiro movimento a se fazer é saber o que quer, onde quer chegar e em qual empresa gostaria de trabalhar.

“Com isso em vista, o profissional deve procurar contatos dentro da companhia na qual ele quer trabalhar. Se não conhece ninguém, o caminho é apresentar o currículo e procurar pessoas que possam influenciar a entrada dele na empresa. Aí vale contatar um colega da escola, da faculdade, frequentar eventos. O que não pode é cadastrar o currículo e ficar esperando”, declarou.

A qualificação é outra estratégia para se sobressair em meio à multidão de candidatos. “Para as pessoas qualificadas e comprometidas, sempre vai ter emprego. O profissional pode não ter o ganho salarial esperado nesse momento, mas vale a pena investir na capacitação”, disse Cristina Pereira Vecchio Balsini, professora do curso de administração da Univali.

Voltar a estudar também é uma maneira de ampliar a rede de contatos. “Em momentos de crise, as empresas acabam cortando o treinamento, mas este é o período ideal para preparar pessoas porque a crise não dura para sempre, além do que, locais de estudo e pós-graduação também geram contatos”, explicou Maria Lúcia.

Os especialistas em carreira também destacam que companhias de menor porte oferecem mais oportunidades de emprego. “Por mais que a indústria esteja demitindo, pequenas e médias empresas são as que mais demandam funcionários e isso já ocorre há algum tempo. É aí também onde as pessoas têm mais possibilidade de ascensão rápida, pois quanto maior a estrutura da empresa, menor a possibilidade de conquistar cargos maiores, já que existem mais degraus a serem galgados”, acrescentou Maria Lúcia.
Fonte: Notícias do Dia - Joinville/SC