Artigos

Os desafios da educação

Osdesafiosdaeducacao-20150620104353.jpg

 
 
19/06/2015 - Fernando Henrique ,Especial para Opinião Pública

Prender a atenção de um aluno na sala de aula não é tarefa fácil e milhões de professores driblam essa dificuldade todos os dias. Na batalha diária para oferecer formação aos alunos, existem inúmeros relatos de violência, descaso e falta de respeito.

Isso nos faz refletir sobe a importância das escolas de qualidade, que muitas vezes estão cheias de alunos, porém na realidade, representam prisões vazias. Educação de má qualidade pode gerar maus cidadãos. A prisão deveria ser uma escola para quem ofende a lei e ao próximo. Já escola, ao invés de parecer uma prisão, deveria ser a libertação da estupidez e falta de instrução.

Acredito que a diferenciação entre escola e prisão começa em casa, onde acontece a formação, quando pais e mães exercem o papel fundamental de autoridade e primeiros professores. Ensinando, dando exemplo e principalmente corrigindo. Tornei-me pai recentemente, sei da importância do exemplo e da correção. Quem não disciplina seus filhos, pode vir a delegar essa importante função ao falido sistema penitenciário.

Aprendo diariamente que um bom pai deve perdoar com o coração e corrigir com amor e firmeza. Mas os jovens de hoje com 18, 16 anos ou menos (portanto já cientes de suas responsabilidades) não podem transferir a responsabilidade por sua formação moral para pais, mães, professores ou delegado s.

Cada um é dono do seu caráter e do seu destino, biblicamente descrito como livre arbítrio. O que está ao alcance do estado, como responsabilidade constitucional de ressocializar o cidadão, precisa de mais atenção e não da omissão vista cotidianamente. A recuperação do cidadão deve ser mais bem gerida por ações estatais. No entanto, o que se vê são verdadeiras escolas do crime, com bandidos comandando ações criminosas de dentro das penitenciarias.

O ideal seria o investimento em mais escolas, melhorias na formação de profes sores, melhores estruturas que ajudem a libertar pessoas da ignorância, das tentações do vício e do crime. Isso porque quando chegamos à prisão, é pelo fato de infelizmente, já ser tarde demais. Formar é inegavelmente melhor e menos trabalhoso do que reformar.

(Fernando Henrique Freire Machado, bacharel em Direito, pós-graduado em Gestão de Pessoas e secretário geral do PHS-GO)
Fonte: dm.com.br