Artigos

Secretário de Alckmin diz que docentes não terão reajuste em 2015

SecretariodeAlckmindizquedocentesnaoteraoreajusteem2015-20150924105820.jpg
 
 
23/09/2015 - Herman Voorwald, titular da Educação, culpa a crise econômica e prevê dificuldades com sindicatos; Apeoesp já fala em nova greve

VICTOR VIEIRA E ISABELA PALHARES 

SÃO PAULO - O secretário estadual da Educação, Herman Voorwald, disse que os professores da rede não terão reajuste salarial neste ano. O congelamento dos vencimentos, diz ele, é motivado pela crise econômica e pela queda nas receitas do governo. Entre março e junho, a categoria fez uma greve de 89 dias por aumento - a maior da história da rede. 

“Não terei aprovação da equipe econômica do governo (para um reajuste)”, afirma o secretário. De acordo com Voorwald, “há uma impossibilidade orçamentária de reajuste neste ano”, mas já é discutida com o governo a proposta de aumento salarial para 2016.

Na gestão anterior do governador Geraldo Alckmin (PSDB), entre 2011 e 2014, o secretário apresentou proposta de reajuste salarial para os quatro anos. Neste mandato, porém, ele reconhece que isso não será possível diante da incerteza econômica. “É preciso que todos entendam o momento pelo qual o País está passando.” 

Segundo ele, após reorganizar a rede, serão chamados os 29 mil remanescentes do concurso para professores do 2.º ciclo do ensino fundamental - que abriu 59 mil vagas. Apesar da restrição de contratações imposta por Alckmin neste mês, Voorwald também pretende, no ano que vem, abrir concurso para quase 1,5 mil diretores. 
Fonte: O ESTADO DE S. PAULO