Artigos

Você Pode Não Perceber Mas Está Desperdiçando seus Talentos

VocePodeNaoPerceberMasEstaDesperdicandoseusTalentos-20150714140154.jpg

 
 
14/07/2015
 
 
É segunda-feira.

Você está determinado a cumprir sua agenda da semana, e é competente no que faz. Não gosta de tudo no seu trabalho, mas o emprego paga as contas e por isso foca em cumprir sua lista de tarefas bem feito.

Eu quero propor a você fazer algo diferente essa semana, e evitar que sua carreira se encaminhe para um beco sem saída.

Porque você não vai se recolocar facilmente após um lay-off mesmo tendo sido um profissional exemplar, se não estiver desenvolvendo seus talentos.
Existem 3 formas comuns, mas pouco percebidas, em que profissionais desperdiçam a chance de fazer um trabalho incrivelmente melhor do que fazem (e já têm o talento para fazê-lo!)

1. Seu dia-a-dia é pautado por urgências. Para ser produtivo você precisar estar motivado, tão motivado a ponto de priorizar os assuntos importantes e não urgentes. Sim, pois esse é um indicador de que você sabe planejar, e consegue escolher sua forma de agir e de gerar resultados.

Às vezes você é dominado pelas urgências por não entender tudo o que está em jogo. Você pensa “vou resolver esta lista de problemas, e os que forem aparecendo, faço isso muito bem! (e recebo meu salário no fim do mês)”.

Só que há sempre muito mais em jogo... realizar algo importante, causar um impacto positivo na vida dos colegas de trabalho, realizar sonhos futuros, aprender novas habilidades, reflexos na vida pessoal, entre outros.

"É sua responsabilidade definir o que é importante, e priorizá-lo." 

Solução, passo 1: descreva para si mesmo o que seria um resultado excelente nesta semana. E quais são os benefícios de alcançar esse resultado, pensando na empresa, no fortalecimento das relações no trabalho, na sua satisfação pessoal, no que você terá aprendido, no seu nível de energia.

Solução, passo 2: liste o que você precisa fazer para incluir em sua agenda atividades importantes e diminuir a incidência de atividades urgentes.

Quanto mais você é capaz de trabalhar no que é importante, mais você irá escolher os itens da sua agenda, ao invés de simplesmente executá-los.
2. Não fazem networking. É fácil dizer a si mesmo que você não tem tempo, ou que já faz networking informalmente. O networking eficaz, conforme aprendi com um mentor, está ligado a ajudar pessoas ativamente e aprender coisas novas. Já pensou em quanto você pode aprender conversando 15 minutos com 1 pessoa por dia fora do seu círculo habitual de trabalho?

Já parou para pensar que essa é uma forma incrível para se manter atualizado? Pois conforme você e seus colegas de trabalho chegam aos 30, 40 anos, uma nova geração atualizada e cheia de energia está chegando... ao alcance de você fazer as perguntas certas. E que você pode ajudar.

“Sem a troca com sua rede de contatos, você corre o risco de ficar preso a suas próprias ideias e ficar desatualizado, tornando seus talentos pouco valorizados no mercado.” 
Solução: se você não é um networker ativo, comprometa-se a ligar para três pessoas essa semana, de preferência que você não tenha entrado em contato no último ano.

Descubra o que esses colegas têm feito, suas maiores dificuldades, como eles têm visto sua área de trabalho, quais os planos fazem para esse momento profissional. Ouça buscando descobrir alguma forma de ajudar (mesmo que você talvez não possa no momento).

3. Não identificam o seu sweet spot. Todo tenista usa esse termo, que designa a região da raquete em que a bolinha deve bater para que o movimento seja absolutamente eficaz: você acerta a bola quase sem fazer força, e ela retorna com uma velocidade incrível. O sweet spot também existe na carreira, e designa o conjunto de atividades que você faz incrivelmente bem. Talvez melhor do que ninguém.

No entanto, seja porque ligou sua carreira em piloto automático, por falta de conhecimento ou nunca ter pensado no assunto, você está deixando de operar no seu ponto de máximo desempenho. Você pode ter alguma noção de quais são os seus pontos fortes e talentos, mas será que está usando eles de forma a trazer resultados em 100% do seu trabalho? Você está usando esses talentos de forma a realizar sua visão de como as coisas devem acontecer? Você entende suas preferências na hora de resolver problemas e lidar com conflitos, e está em um ambiente favorável ao seu estilo?

Analisar sua trajetória profissional pode dar dicas de respostas a essas perguntas.

“Acredito que intuitivamente você sabe se está trabalhando no sweet spot ou não. Se está aproveitando os seus talentos ou não.” 

Solução: você precisa descobrir o que inspira você, buscando autoconhecimento, e também se colocando em situações para aprender o que gera mais satisfação no seu trabalho. Acredite na sua intuição, mas procure um mentor, se puder encontrar, ou um coach, se puder contratar, para orientar nesta tarefa.
 
COMPARTILHE:

“Porque continuar sendo a mesma pessoa de sempre, se posso ser alguém muito melhor?” - Bandler 
Se você gostou desta publicação, clique no botão “Seguir” no início da página para continuar recebendo artigos sobre crescimento profissional e transição de carreira.

Eu posso ajudar você...
Tenho 15 anos de carreira corporativa e minha empresa já prestou assessoria a dezenas de profissionais em momentos de transição. Ajudo líderes, inovadores e especialistas a conquistarem o seu próximo passo na Carreira. Conheça mais sobre o programa Upgrade na Carreira, desenvolvido para o seu crescimento profissional.

Alexandre S. Nunes, Estrategista de Carreiras e Coach Executivo
Fonte: linkedin.com